​Brincadeiras Sensoriais

balõesAs brincadeiras sensoriais apelam a que as crianças explorem as coisas estimulando-lhes os sentidos (não estavam nada à espera, pois não?!). Eu não percebo nada do assunto mas, quer-me parecer que quando são muito pequenos, tudo é sensorial, porque eles sentem tudo com todos os poros. O que é verdade é que há de facto brincadeiras que estimulam mais um, ou outro ponto.
De entre as várias coisas que fazemos com este objectivo, de dar uso aos 5 sentidos, mostro-vos 6 que têm muito sucesso com a Inês.

Atenção:
Caso sejam intolerantes à sujidade e à bagunça, não tentem isto em casa.
Se a vossa criança enfia tudo na boca, também não vão querer fazer algumas destas coisas.

1. Garrafas sensoriais
Sigo muitos blogs de mães e pais que fazem coisas giríssimas com os miúdos, algumas delas altamente profissionais. E foi neste blog (que dos que conheço é aquele de onde tiro mais ideias) que vi as garrafas sensoriais com as estações do ano que fiz para eu e a Inês brincarmos.sensory_bottles​São garrafas de plástico, com água e pequenos objectos relacionados com cada uma das estações.
(vejam aqui em mais pormenor)​
​​E como é que se brinca com isto?
Além de ser giro olhar para a forma como o líquido e os objectos se movem dentro da garrafa, ver as cores, identificar os objectos, ouvir o som que fazem, podemos também falar sobre o que acontece nas diferentes estações do ano​.​​
Dependendo da idade da criança, podem logo fazer da preparação das garrafas uma brincadeira, falando sobre o que vai para cada uma e deixando-a pôr as coisas dentro das garrafas sozinha.
Eu, como sou egoísta e quero os brinquedos todos para mim, preparei as garrafas enquanto a Inês dormia a sesta :)
​​Como a Inês só tem 2 anos, a brincadeira passa muito por ela abanar freneticamente as garrafas e eu ficar em pânico não vá aquilo abrir-se e o corante alimentar dar cabo da alcatifa ao senhorio e lá se vai a caução.
Mas, de vez em quando, num momento de calma, lá estamos nós a olhar para as garrafas junto à janela e a falar da neve que cai no inverno e das flores que aparecem na primavera.​

​2. Slime
​A gosma, como eu gosto de lhe chamar, porque não encontro outra tradução melhor, estimula essencialmente o tacto. Mas, se fizerem a coisa com muito amor, também pode ser aromatizada e, estimular o olfacto.
​A Inês é um bocadinho enojada com as coisas e não gosta de ter as mãos sujas, nem mexer em coisas estranhas. Por isso, decidi começar a fazer esta brincadeira com ela, na esperança que se deixasse dessas frescuras e honrasse a sua costela Alentejana, de quem brinca na terra e apanha minhocas, rãs e outras coisas igualmente divertidas e que envolvem sujar muito as mãos.
Há milhentas receitas de slime pela net fora; eu experimentei duas, uma normal e outra fluffy. (Aqui, alternativas com ingredientes supostamente mais inofensivos.)
A fluffy é mais gira, mas passados uns dias fica igual à outra.sensory play_slimeMexer no slime só por si, já é muito giro, mas como a Inês não é da mesma opinião que eu, tive que arranjar uns truques para que ela se entusiasmasse.
​E como é que se brinca com est​a​ gosma?
No caso do slime de inverno, misturei estas pérolas de vidro e incentivei-a a tirar e a pôr e assim passámos um bom bocado.
Também gostou de pôr as pérolas no fundo do frasco, deitar a slime por cima, enroscar a tampa do frasco e depois tirar tudo e recomeçar…

Com a slime fluffy, coloquei as diferentes cores numa forma de queques com 6 compartimentos e em cada um deles escondi um boneco. Dei-lhe umas colheres de plástico e deixei-a descobrir, escavando, o que estava escondido em cada cor. Ela adorou e em menos de nada já estava a pôr os animais dentro do slime e a dizer que estavam a tomar banho.

3. Water Beads (Missangas de água?)
​Estas bolinhas, são das coisas mais relaxantes onde podem mexer.
Penso que em Portugal se vendem nas floristas e nas lojas chinesas.
São umas bolinhas, que vêm desidratadas e por isso muito pequeninas (do tamanho de missangas). Mas, quando se colocam dentro de água durante um tempo, incham e ficam tipo bolas de gelatina.
Há de imensas cores e podem ser usadas para muita coisa, inclusivamente nos vasos das flores para gerir a quantidade de água que a planta absorve.sensory play_water beadsEu costumo deixar a Inês mexer-lhes à vontade (acaba por esmagar um monte delas) e dou-lhe umas colheres e uns baldinhos para ela despejar as bolas.
Também costumamos dividir por cores, outras vezes ponho animais de plástico misturados para ela encontrar, etc

4. Arroz, feijões e massas coloridas
Tenho mixed feelings em relação a todas as brincadeiras que envolvem produtos alimentares. Primeiro porque ok, são coisas que já tenho ali na despensa, naturais, não são de plástico, blá blá. Por outro lado, não me consigo desligar do facto de ser comida…
Para não me pesar tanto a consciência, tento que estes “brinquedos” rendam o máximo tempo possível.
O arroz, os feijões e as massas coloridas com que brincamos hoje, foram preparados há cerca de 1 ano e estão aí para as curvas. Portanto, não foi bem como agarrar neles e enfiá-los no lixo.
Para tingir este género de produtos vejam aqui.sensory play_riceAs brincadeiras que fazemos com o arroz e com os feijões, são as mesmas que fazemos com as bolinhas de que falei antes: mexer, despejar com colheres, dividir os bagos por cores, encontrar objectos escondidos pelo meio, etc.
Com a massa, dependendo da variedade que usarem, podem fazer também outras coisas.
Já fizemos colares com massa tubinho, enfiamos as massinhas em pauzinhos de espetada, usamos para fazer coisas com plasticina (olhos, cabelo, bocas…) e em breve quero experimentar fazer colagens e pintura usando as massas como carimbos.

5. Moon sand (areia a fingir)
Despois de regressarmos das férias de Verão, vínhamos todos deprimidos com saudades da praia, até a Inês. Por isso, mal tive oportunidade, pus logo em prática esta brincadeira com areia a fingir.
Enchi o fundo de uma caixa de plástico com a “areia” e juntei conchas, búzios, formas, pás e balde de praia.
Fizemos uma praia a fingir e brincámos.sensory play_moonsandComo a caixa tem tampa, passados 5 meses, a areia ainda está impecável e de vez em quando brincamos com ela.
(vejam a receita aqui)

6. Pintura com cotonetes
Palavras-chave para que esta brincadeira não se torne num inferno: tinta LAVÁVEL
Só precisam de uma folha de papel (quanto maior, melhor), tintas e cotonetes.
Neste dias (que aparece nas fotos) a Inês até pintou com as mangas e com a barriga. Tudo porque eu, espertinha, pus as tintas de maneira a que ela tivesse que se esticar toda por cima do desenho para conseguir chegar a elas…lição aprendida.sensory play_paintSe quiserem fazer disto uma coisa agradável para todos os sentidos, vão para a rua. Para a varanda, para o quintal, para o jardim, para o canteiro, não importa. O ar livre torna tudo mais agradável.

Parecem-me tudo brincadeiras simples de pôr em prática, mas à falta de melhor, comer terra e saltar nas poças de água, é igualmente divertido e sensorial :)