Chegámos à cidade verde!

​Ora se Toulouse era conhecida pela ville rose (vejam aqui), por causa dos seus edifícios de tijolo antigo, Seattle é considerada a cidade esmeralda. Ao que parece, por ser a cidade (das grandes) mais sustentável dos Estados Unidos e claro, por estar rodeada de natureza verdejante.
Apesar dos nossos últimos dias em Toulouse terem sido caóticos, a viagem até cá, que era um dos momentos deste processo todo que mais me punha nervosa, correu muito bem. À parte de uma pequena demonstração de serviço ao cliente tipicamente francesa no checkin (mas nem nos despedíamos de França em condições se assim não fosse), foi tudo super tranquilo. Nem as nossas 6 malas gigantes, mais carrinho de bebé, mais cadeirinha para instalar a Inês no avião, mais mochilas, mais malas de mão, nos causaram grandes problemas. Estamos a ficar uns prós nisto de viajar com um bebé. (Se alguém que me lê tiver interesse em que escreva aqui sobre este tema, que diga).
Mas, o que mais ajudou, foi que a Inês esteve sempre super be​​m disposta, comportadinha e se fartou de dormir. Minha rica filha!
As minhas primeiras impressões da nossa nova cidade foram um bocado turvas, afinal de contas, acordar às 3:45 da manhã e fazer 15 horas entre voos e escalas, é coisa para arrasar o cérebro de uma pessoa. Se essa pessoa for uma mãe que não dorme em condições há mais de 1 ano, atingimos o pleno.
Mas agora, mais recomposta, e depois de ontem termos dado um passeio de reconhecimento a pé, tenho a dizer que estou positivamente surpreendida. Tinha a ideia de que me tinha calhado a Bélgica dos Estados Unidos (toda a gente sabe que na Anatomia de Grey está sempre a chover!), e afinal não. Está muito frio, está, tem chovido um bocado, pois que sim, mas já consegui ver o azul do céu e sentir um solzinho na face.
Vejam só aqui na única foto que tirei até agora (e que está horrível, eu sei…melhores hão-de vir):
SeattleDaquilo que vi, não me pareceu uma cidade caótica com malta a acotovelar-se nas ruas (como Nova Iorque)…nada disso, é mais caótico o Chiado num dia de semana que as ruas aqui da baixa onde andei ontem. Há muitas zonas verdes, muita água (lagos, mar e isso…poças de água incluídas). E um pouco fora do centro, há bairros daqueles como nos filmes com casas giras que se farta no meio de árvores. Ou seja, é uma grande cidade, com os arranha-céus típicos das grandes cidades, mas não é preciso andar muito para estarmos no meio da floresta e da natureza.
O melhor de tudo, apesar de ainda só cá estarmos há 4 dias, já encontrámos casa e vamos mudar-nos para lá muito brevemente. Mil iupiiis para esta parte!
Depois é só esperar que todas as nossas coisas que agora estão a boiar, algures no meio do Atlântico (espero que bem protegidas e dentro de um barco robusto), cá cheguem e estaremos finalmente instalados.

Sigam-me no Instagram e no Facebook para actualizações mais regulares e em tempo real (ou quase).

I’ll be back! :)