Da chuva, para o Verão eterno

Eu não gosto muito de falar das coisas antes delas se concretizarem ou de estarem já em avançado estado de certeza. Não o faço com aqueles que me são mais próximos e muito menos o faço por meios um pouco mais “públicos”, como sejam as redes sociais ou aqui o blog.
Não que seja supersticiosa, mas só porque sei que as coisas mudam com muita facilidade e o que hoje é “assim”, amanhã acordamos e já é “assado” e, se tivermos a iniciativa de contar algo a meio mundo quando ainda não está bem sedimentado, teremos que corrigir a informação e explicar a história toda (vezes o nº de pessoas que vão colocar questões) e eu não tenho paciência…pronto, é isso.
Isto tudo para dizer o quê?
Para dizer que ainda não tinha aqui falado do assunto mais importante do momento na minha vida…
(Pausa para suspense)
Estou (estamos!) neste momento a passar por mais um período de nervinhos daqueles que nos chegam quando vamos mudar de país.

“O quê?”
Pois, logo agora que parece que vem lá a Primavera e que a chuva vai dar tréguas…
Sim, estamos a preparar uma nova mudança de país, de continente, de cultura, de meteorologia, de tudo.
Quando saímos de Toulouse para Seattle, sabíamos que ficaríamos apenas um ano e que depois seguíamos para um novo destino. Inicialmente estava previsto que fosse o Brasil, mas lá está, as coisas mudam e afinal vamos para Kuala Lumpur, Malásia.

Já vendemos o carro, o cortador de relva e já nos desfizemos de toda a tralha desnecessariamente acumulada ao longo do último ano. Na próxima semana, empacotamos a casa e seguimos, para recomeçar a vidinha num fuso horário 15 horas à frente no tempo. Portanto, acho que já não há grandes riscos do plano se alterar e sinto-me à vontade para falar sobre isto.
É com muita pena que vejo chegar ao fim as minhas #cenasdavidinhaamericana e claro, estes últimos tempos têm sido de despedida de muitas coisas e de todas as pessoas que se nos tornaram tão queridas.
Não é por sempre ter sabido que isto não ia durar muito que as despedidas se tornam mais fáceis e ando a sentir imensos sentimentos, como diria o RAP.
Cada coisa que faço e que sei que o estou a fazer “pela última vez”, tem assim um peso dramático.
Mas isto passa :)

Não sei quando consigo voltar a escrever aqui, por isso, desta vez não faço promessas, mas de certeza que no Instagram e no Facebook as coisas estarão animadas. Vão-me espreitando.

Até breve, a partir do outro lado do mundo :)