Rita @ País Basco

Duração: 3 dias
Destinos: Bilbau, Portugalete, San Sebastian, Gaztelugatxe, Mundaka e Zumaia
Deslocações: carro
Alojamento: hotel marcado via Booking – NH Palacio de Oriol
Mês: Novembro

Depois de um belo pequeno-almoço saímos de Toulouse em direcção à costa Basca Espanhola. O nosso destino final seria Portugalete, nos arredores de bilbau.
De caminho parámos junto à costa em Zumaia para umalmoço rápido e admirar as vistas do mar que estava bastante agitado como é normal nesta altura do ano.
Portugalete foi o único sítio onde conseguimos encontrar um hotel a um reço decente no fim de semana do 1 de Novembro (que ao contrário de Portugal continua a ser feriado em França e em Espanha). Fizemos o nosso checkin e partimos para Bilbau para visitar o museu Guggenheim.
Na minha modesta opinião, a coisa mais impressionante neste museu é o próprio edifício que é um trabalho incrível de arquitectura e de engenharia.
Sendo uma apreciadora de arte (que sou!), foi-me difícil gostar das exposições que estavam no museu nesta altura. Reforço que é só a minha opinião, mas achei que havia muito lixo e pouca arte.
Ainda assim as peças em exibição no exterior do edifício e The Matter of Time no piso térreo do museu, fazem a visita valer a pena.

{ Guggenheim museum from outside and the famous Maman spider // Exterior do Museu Guggenheim e a famosa aranha Maman }
{ Exterior do Museu Guggenheim e a famosa aranha Maman }
{ XLTulips outside Guggenheim Museum // Tulipas XL no exterior do Museu Guggenheim }
{ Tulipas XL no exterior do Museu Guggenheim }

Saímos do museu já de noite e jantámos num restaurante asiático muito bom no centro de Bilbau- Old Shanghai, onde além da comida ser óptima, a decoração é de extremo bom gosto e se pudesse tinha trazido um móvel ou dois na mala.

Na manhã seguinte saímos para San Sebastian para passar o dia.
Chegámos à cidade e confirmámos aquilo que a nossa busca de hotéis já deixava adivinhar, a cidade estava ao rubro. Montes de gente em todo o lado.
Foi extremamente difícil encontrar lugar para estacionar o carro, sendo que ficámos 1 hora na fila de um dos parques públicos até termos lugar.
Como compreendem não foi assim a recepção mas calorosa e a certa altura o Pedro ainda sugeriu que devíamos era conduzir de regresso a casa…a Lisboa!
Depois desta pequena aventura, vimo-nos finalmente livres do carro e pudemos explorar a maravilhosa cidade de San Sebastian.
Passámos no Turismo para perceber como podíamos aproveitar o nosso dia melhor maneira e daí a uns minutos já o nosso bom humor estava de volta e fartámo-nos de rir a ver as pessoas a levarem banhos das ondas no Paseo Nuevo.

{ People having fun with the waves @ Paseo Nuevo in San Sebastian // Pessoas a divertirem-se com as ondas no Paseo Nuevo em San Sebastian }
{ Pessoas a divertirem-se com as ondas no Paseo Nuevo em San Sebastian }

Depois de uma caminhada à beira mar, almoçámos no restaurante La Rampa onde comemos um belo peixinho fresco.
Continuámos depois até à Catedral do Bom Pastor, passando pelas ruas do centro cheias de pessoas, turistas mas não só. Que já se sabe que se há coisa que o povo Espanhol gosta é de estar na rua a beber, comer, conversar e brincar com as crianças. Isto foi uma coisa que sempre admirei nos Espanhóis (já desde as idas a Badajoz às Galerias Preciados nos idos anos 80/90), é o facto de independentemente do dia da semana, depois do trabalho é vê-los todos na rua a encher as ruas e as praças de animação. Isto e a produção das mulheres Espanholas, mas isso era outro post…

{ San Sebastian and the Good Shepard Cathedral // San Sebastian e a Catedral do Bom Pastor }
{ San Sebastian e a Catedral do Bom Pastor }
{ San Sebastian }
{ San Sebastian }

No final do dia as nuvens começaram a invadir o céu e percebemos que era a nossa deixa para irmos embora.

O dia seguinte começou com um passeio à beira rio até à famosa Ponte Bizkaia ou Puente Colgante como lhe chamam.
Património da UNESCO, esta ponte foi a primeira do género a ser construída em todo o mundo e data de 1893.
Eu fiquei impressionada a vê-la funcionar mas não tive coragem para atravessar…talvez numa próxima oportunidade…

{ Puente Bizkaia @ Portugalete }
{ Puente Bizkaia @ Portugalete }

Continuámos a viagem em direcção a Gazletugatxe, um ilhéu ligado a terra por uma ponte de pedra e muitos degraus. Adorei este sítio e o facto de termos visitado nesta altura do ano acho que tornou tudo ainda mais bonito. O mar estava muito agitado e o céu meio cinzento proporcionando uma atmosfera muito ao género Senhor dos Anéis.
Recomendo muito que visitem se tiverem oportunidade e por favor vão até lá pelo caminho pedestre pelo meio do campo e não pela estrada de alcatrão. Assim, podem apreciar a vista do alto da colina (verdejante).

{ Gaztelugatxe }
{ Rita armada em DiCaprio @ Gaztelugatxe}

De Gaztelugatxe seguimos para Mundaka, essa meca do surf onde almoçámos e mais uma vez admirámos as ondas. Seguimos por uma estrada fininha junto ao mar até Zumaia (de novo!).
Depois de visitarmos Zumaia no primeiro dia da viagem é que descobrimos que não vimos a principal atracção desta vila, o flysch – “o mais longo conjunto de formações rochosas estratificadas continuo do mundo“, segundo a wikipedia.
Por isso regressámos, para ver o bem dito flysch e acabar assim a nossa viagem com um por do sol extraordinário.

{ Zumaia }
{ The flysch @ Zumaia }
{ Pedro walking on top of the flysch @ Zumaia // O Pedro a caminhar até ao fim do flysch em Zumaia}
{ O Pedro a caminhar até ao fim do flysch em Zumaia}
{ The flysch is like giant book pages made of stone // O flysch é como páginas de livro gigantes feitas de pedra }
{ O flysch na verdade são páginas de livro gigantes feitas de pedra }

Têm que concordar que esta foi a melhor maneira de terminar a viagem! :)

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo