Rita @ Itália – Parte II

Este post é a continuação de Rita @ Itália – Parte I

Duração: 
12 dias
Destinos: Veneza, Verona, Lago de Garda, Cinque Terre, Pisa, Viareggio, Florença, Siena, e Roma
Deslocações: carro, Vaporetto, metro e comboio
Alojamento: hotéis reservados via Booking
Mês: fim de Abril/ início de Maio

Depois de uma paragem em Pisa e um almoço em Viareggio, continuámos a nossa viagem para dois dias de visita a Florença onde vimos as principais atracções da cidade.
No primeiro dia subimos à cúpula do Duomo (463 degraus), fomos à Basílica de San Lorenzo onde está o mausoléu da família Medici. Almoçámos no Mercato Nuovo, visitámos a Galleria Dell’Academia para ver o David de Miguelangelo e depois a Galleria degli Uffizi, onde pela segunda vez na vida fiquei pasmada durante uns bons minutos em frente ao Nascimento de Vénus e à Primavera de Boticelli. Estes são dois dos meus quadros preferidos e não há como resistir a ficar ali um bom bocado a observar todos os detalhes de cada uma das obras.

{ A cúpula do Duomo }

Além de andarmos muito a pé por todas as ruas do centro, as pausas para gelado também faziam parte das nossas actividades diárias, assim como sentarmo-nos a descansar e a ver quem passava na Piazza dela Signoria.

{ Dá para resistir? }

{ Piazza de la Signoria }
{ Ponte Vecchio }

Para jantar, seguimos o conselho do Lonely Planet e fomos a uma das pizzarias no top 5 de Florença, a Pizza Man. A comida era óptima e o senhor que nos atendeu era muito simpático, portanto foi uma boa recomendação.
Depois de jantar, fomos assistir a um concerto de música clássica numa igreja perto da ponte Vecchio.
Na manhã seguinte, de caminho para Siena, subimos ao Piazalle Michelangelo para dizer adeus a Florença com a vista panorâmica da cidade.

Siena, foi só uma cidade de passagem para nós e fiquei com pena porque adorei a cidade e gostava de ter ficado uma noite.
A praça principal, Piazza del Campo, é onde duas vezes por ano tem lugar o Palio a famosa corrida de cavalos que põe em competição os diferentes bairros da cidade. Cada bairro tem uma bandeira própria que é representada por várias cores e um animal / símbolo. Ao passear pelas ruas, vamos sempre vendo as diferentes bandeiras nas esquinas de cada distrito.
Em Siena, visitámos o museu da opera, a fachada da nova catedral (que nunca chegou a ser construída) de onde se tem uma vista magnífica de Siena, a catedral (a visitar!), o Battistero di San Giovanni, a basílica de S. Domestico e a fortaleza de Siena onde aproveitámos para descansar antes de seguirmos viagem.

{ Museu da opera }

{ As bandeiras dos diferentes bairros de Siena }

{ Piazza del Campo }

{ dispensa apresentações }

Já tarde nessa noite chegámos a Roma para os nossos últimos dias de Dolce Vitta.
Dicas em Roma: vale muito a pena comprar o Roma Pass assim como uma visita guiada ao Vaticano, Capela Sistina e Basílica de São Pedro – melhor forma de evitar as filas (podem fazê-lo através do site do Vaticano).

Ficámos três dias e meio em Roma e visitámos tudo quanto nos foi possível, com vão já perceber.

Dia 1
Forum romano, Palatino, Coliseu e Arco di Costantino (tudo na mesma zona).
Terminámos a tarde a descanar na Piazza do Campidoglio, desenhada por Michelangelo e considerada uma das praças mais bonitas de Roma.

{ Forum Romano }

{ Coliseu }

Dia 2
De manhã bem cedo, visitámos o Vaticano onde vimos a Capela Sistina, a basílica de São Pedro e uma parte do museu do Vaticano.
Depois, continuámos a explorar a cidade e passámos pelo Castel Sant’Angelo, Ponte Sant’Angelo, Campo de’Fiori e Piazza Farnese, Piazza Navona, Panteão (o meu monumento preferido em Roma), Piazza Minerva a estátua do Elefantino (tão giro!), a igreja de Santa Maria Sopra Minerva (única igreja Gótica em Roma), Largo di Torre Argentina e por fim a Fontana di Trevi, com uma passagem pela Piazza Colonna.
Terminámos este dia bastante ocupado com um jantar na Trattoria António (Via della Paste) e de regresso ao hotel passámos pela Piazza di Spagna para admirar a famosa escadaria.

{ Panteão }

{ A cúpula do Panteão vista por dentro }

{ Elefantino }

Dia 3
Fomos a uma exposição de máquinas desenhadas por da Vinci no Pallazo della Cancelleria e depois até ao Largo della Torre Argentina para passear pelo Guetto Judeu. De caminho passámos pela Isola Tiberina, a pequena ilha no meio do rio Tiber.
Ao final da tarde visitámos as ruínas das Termas de Caracalla onde eramos praticamente os únicos turistas e podemos apreciar tudo com calma.
À noite, já depois de jantar ainda fomos até à Piazza Barberini para vermos a Fontana del Tritone e a Fontana delle Api, ambas de Bernini.

{ Termas de Caracalla }

 

{ Fontana delle Api }

Dia 4
No nosso último dia em Roma, apenas tivemos tempo para visitar a Piazza del Popolo e a Igreja de Santa Maria del Popolo e a Basílica di San Giovanni in Laterano.
Voltámos num instante à Fontana di Trevi para tirar uma última foto e depois foi hora de rumar ao aeroporto e dizer adeus a Itália.

{ Igreja de Santa Maria del Popolo }

Pode parecer que esta viagem foi uma correria e uma canseira, mas a verdade é que não. Apesar de terem sido 12 dias bastante intensos e preenchidos, tivemos sempre os nossos momentos de descanso.
Não se esqueçam que em Itália há sempre qualquer coisa para ver. Especialmente em Florença e em Roma em que a cada esquina encontram um monumento. Por isso, de caminho entre uma atracção e outra, de certeza que acabam por passar por outras coisas interessantes. O ideal é que estejam munidos de um bom guia (Lonely Planet ou outro) para poderem consultar e terem a certeza que sabem sempre o que estão a ver e que não deixam escapar nada que tenha interesse.

Espero que esta minha descrição vos inspire a irem até Itália caso tenham essa oportunidade!

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo