Sopa de Beldroegas

sopa de beldroegas_aA palavra beldroega aparece algumas 1500 vezes neste blog e só hoje me dei conta que ainda aqui não publiquei a receita da sopa das mesmas?! Nem podia descansar enquanto não remediasse esse assunto.
Antes de mais, para os mais desatentos, explico-vos o que é uma beldroega. Tenho a certeza que estão fartos de se cruzarem com elas pela vida fora. Sério, crescem em todo o lado, até no meio das pedras da calçada (mas não são essas que querem comer!).
A beldroega é uma erva considerada daninha, comestível e rica em ácido salicílico.
Visualmente falando, é isto:
sopa de beldroega_2Existem várias espécies, mas a mais comum, esta que vos mostrei, pode ser comida de diferentes maneiras, incluindo crua, em saladas.
Comecem a reparar no chão que pisam e vão ver que mais cedo ou mais tarde vão ver uma!
Esta sopa é muito conhecida no Alentejo e come-se normalmente no Verão, por ser a altura em que a matéria prima cresce em força. Mas é possível preparar as ervinhas e congelar* para comer numa época mais fria e em que a sopa saiba melhor. Como é típico das sopas alentejanas, sopa é só o nome…na verdade, é uma refeição completa.
Como disse ali em cima, as beldroegas que nascem no meio das pedras da calçada não são as que devemos comer, só porque estão muito sujas. Eu comecei por plantar aqui em casa, a partir das sementes de umas que vi uma vez num passeio pelo campo. No ano passado, fiz sopa com as que nasceram nos meus vasos, mas como a produção foi pequena, só deu para uma vez.
Este ano, consegui encontrar o paraíso da beldroega num parque onde costumo ir passear, aqui perto de Toulouse (La Ramée, para quem esteja pela zona) e foi lá que me abasteci algumas vezes.
O que vos quero dizer é: aprendam a identificar a planta e apanhem-nas num sítio limpinho. Tenham atenção para as apanharem antes de começarem a ter sementes. Apesar de serem comestíveis, as sementes na sopa são muito desagradáveis, dão a sensação de estarmos a comer areia.

Ingredientes
Beldroegas (só as folhas e os caules mais fininhos)
Batatas (1 batata média por pessoa)
Cabeças de alho (1 para cada 2/3 pessoas – lavadas e inteiras)
Ovos (1 por pessoa)
Queijo em cubos grandes (quanto mais duro melhor)
Azeite
Sal

Preparação
Comecem por deitar azeite a cobrir o fundo da panela e, quando estiver quente, ponham as cabeças de alho. Quando ficarem alouradas, deitem as beldroegas e deixem que comecem a mudar de cor (começam a ficar mais escuras). Depois, deitem água a cobrir as ervinhas e de seguida as batatas, cortadas em rodelas finas.
Temperem de sal, mas sem exageros (mais tarde vamos juntar o queijo que também é salgado). Deixem cozinhar até que as batatas se comecem a desfazer e nessa altura desliguem o lume.
Logo de seguida, abram os ovos um a um para dentro da panela e juntem o queijo.
Sirvam logo depois, quando os ovos já estão escalfados e o queijo meio derretido.
O ideal é que a água se tenha tornado num caldo cremoso, com as batatas e os alhos meio desfeitos e com o queijo um pouco derretido.
sopa de beldroegas_1Come-se tudo, menos a casca do alho e, preferencialmente, com a ajuda de colher e garfo.
E depois, é dormir uma sesta para ajudar à digestão.

*Para preparar as beldroegas para consumir mais tarde, basta dar-lhes “uma entaladela” em azeite quente e depois congelar. Quando quiserem usar, não precisam de descongelar. Basta deitar o bloco gelado de azeite e ervas na panela.