Como fazer uma mandala com autocolantes

Lembram-se de há uns meses ter partilhado um post do blog Honestly WTF no Facebook com um projecto de DIY que queria mesmo fazer e de depois ter publicado no instagram uma foto do mesmo já em progresso?
mandala_bNunca cheguei a mostrar o resultado final…
Mas, depois de ontem vos ter contado que estou grávida (btw, muito obrigada por todas as vossas reacções positivas!), já vos posso contar a história deste projecto com todos os detalhes. E pois que cá vai:
Mal vi isto no Honestly WTF, decidi que tinha que fazer algo do género. Não sou muito fã de mandalas, pelo que representam, mas é certo que os jogos de cor me agradam.
Adorei esta ideia por ser um pouco nonsense. À primeira vista sim, é uma mandala, uma coisa a atirar para o espiritual, mas depois vai-se a ver e não, é só uma coisa gira e com piada.
Apesar de ainda haver paredes vazias um pouco por toda a casa, a minha dedicação, no que à decoração diz respeito, tem estado focada no futuro quarto do nosso serzinho vivente que há-de ocupá-lo lá para o início do ano.
Portanto, automaticamente decidi que a minha mandala de autocolantes seria para esse espaço e que haveria de ser muito baby friendly.
Independentemente de me vir a calhar um bebé ou uma bebéia (na altura ainda não sabia), queria usar cores suaves e fofinhas, variadas.
Tive por isso o cuidado de procurar autocolantes com temas e cores adaptados a esse contexto, mas, mudando a temática dos autocolantes ou escolhendo cores mais fortes, pode perfeitamente fazer-se um elemento decorativo bem diferente para um espaço de adultos, como a sala de estar.
Bati perna por Toulouse em busca dos autocolantes perfeitos e acabei por concluir que me saía mais em conta comprar um livro de “gommettes” do que aquelas pacotinhos com 2 ou 3 folhinhas de autocolantes.
O eleito foi “Les Animaux du Monde de Géraldine”, com mais de 1000 autocolantes de animais; ainda que nem todos eles tenham características adequadas a este projecto. Mas de qualquer forma, não são necessários 1000 autocolantes para fazer a mandala, por isso não há problema.
As instruções de como fazer estão todas muito claras no post da Erica.
Mas, como este é um projecto, em que quando começamos não há como corrigir (sob pena do papel ficar todo estragado se tentarmos descolar um autocolante já colado), decidi começar por recortar toscamente os autocolantes das folhinha originais onde vinham e fazer uma pequena simulação de como iria dispor a minha mandala. Só depois comecei a colá-los na cartolina final. E recomendo que se tentarem fazer algo parecido, sigam esta dica.
Também quis inovar um bocadinho no que ao desenho da mesma diz respeito e não fiz um círculo perfeito, mas sim uma forma que aproveita um pouco mais da horizontalidade da folha de cartolina.
Depois de umas belas horas de actividade entre o “ai que isto é tão relaxante e anti-stress” e o “ai que estou zonza com tanta simetria caleidoscópica“, o resultado final foi este:
mandala_1De longe, uma amálgama de cores e bonecada, mais perto, pormenores tão giros como flamingos, borboletas, beija-flores, lulas e até os três porquinhos a andarem de bicicleta.
mandala_aFoi este o primeiro elemento decorativo que fiz para o quarto (ainda em progresso) da Inês (que é a bebé dentro desta barriga) e que acho que vai muito bem com a cómoda de já vos falei no outro dia.
mandala_eSem dúvida, um dos projectos que mais gostei de fazer nos últimos tempos.

mandala_0

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo